BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

02 setembro 2010

E só um abraço, não?

Sabem quando precisam de um "abraço de mãe" ou um "abraço de pai"? 
Quando só precisam de um "vai correr tudo bem" dito por alguém mais velho e que nos sirva de referência, mesmo que seja mentira, mesmo que acabe tudo mal....

Com os meus pais não há nada disso! O meu pai é bom a julgar, a criticar e a castigar cada pequeno erro ou falha, mesmo que ele tenha feito bem pior na sua vida...
A minha mãe transforma todo e qualquer problema no seu drama pessoal. Acabo a ser eu a dar-lhe força e se nem a tenho para mim, como a posso dar a alguém?

Vou dar-vos um exemplo de como correria dar uma má noticia aos meus pais:
Eu - Tenho aqui uma unha do pé encravada e dói-me tanto!
Pai - Eu já te disse que devias cortar as unhas a direito e ter cuidado! Agora mereces a dor e devia era ser pior para aprenderes! Além disso, estás a contar-me para quê? Sou médico, por acaso? 
Mãe - Ai a minha vida! Nunca tenho descanso! Já tenho tantos problemas e agora mais isto! O que é que vou fazer? Só me acontecem desgraças! Não tenho sorte nenhuma... (e depois chora, e chora...)

E é assim que eu e o meu mano adoramos os nossos pais, mas não lhes contamos metade dos nossos problemas nem das ocorrências da nossa vida! E às vezes um abraço apertadinho era tão bem vindo...

17 cores:

BS of Life disse...

:)

Tão parecidos que os nossos pais são. Às vezes também me sabia bem esse abraço, mas acredito que temos os pais que precisamos para crescer.

Repara, se eles fossem muito fofos, nós não éramos como somos...

Não vale a pena contar-lhes metade, não, nós já estamos habituadas ao stress, e aguentamo-nos.

Beijoca.

Vera, a Loira disse...

Um abraço para ti, virtual, mas é o que posso, porque mereces.

Fresco disse...

Infelizmente há modos um pouco estranhos de mostrar o amor pelos filhos.
Depois admiram-se quando eles vão procurar fora os abraços que não lhes dão em casa...
Vidas...

Bjs.

-Joana disse...

Bem, que situação!

S* disse...

Apoiem-se um no outro... isso é importante.

Lady Me disse...

Não pude deixar de me rir, apesar de saber que não tem piada nenhuma.
O meu pai é pior que o teu, acredita! Ele grita e berra quando tenho algum problema como se eu tivesse culpa ou quisesse que isso me acontecesse. A minha mãe já não, ajuda-me em tudo embora também diga "Nunca tenho descanso!" e embora não me dê um abraço porque tem demasiados complexos pra isso. LOL. São pais à maneira deles, os deles ainda devem ter sido piores neste aspecto.

Hyndra disse...

É mau, assim. Mas pensa que pelo menos tu e o teu irmão têm-se um ao outro :D

Su disse...

percebo-te em parte...
mas, olha que pelo menos tens o teu irmão e podem se apoiar um ao outro, e isso é bom ;)

Beijinho *.*

Malena disse...

Eu sou mãe! Posso abraçar-te? :))

a Gaja disse...

A falta que um bom abraço faz...se te compreendo. Se estivesse por perto daria um abraço apertadinho para saberes que estou aí.

Nem sempre é fácil ter uma boa relação com os pais, com o meu pai era igual...com a minha mãe dou-me melhor mas às vezes fazemos faisca.

AVOGI disse...

nem sei o que diga! nao devia ser assim, mas infelizmente para ti é. kis :(

Rafeiro Perfumado disse...

Sempre se vão tendo um ao outro, também é importante. E se quiseres um à distância, conta comigo!

Beijoca!

maria teresa disse...

Sei que há muitos pais assim...confundem-me mas todos somos diferentes.
Abracinho

Pinkk Candy disse...

os meus também são assim, às vezes, o que me vale é que não são sempre assim, têm fases. ou seja, às vezes fico sem os compreender...

kiss

Anuska disse...

Com os meus tem dias... mas não são nada constantes... às vezes surpreendem-me pela positiva...outras nem tanto.

Ana Sousa disse...

Como te compreendo. Eles devem ter um modo muito peculiar de gostar (eu gosto de acreditar que eles gostam, só que não querem demonstrar). E um abraço que pode fazer tanta diferença fica só na imaginação.

O meu pai também é bom a mandar vir, fica radiante quando me pode deitar abaixo e se me vir feliz tem que arranjar algo com que implicar. Infelizmente, por isso, a relação não funciona e não temos contacto directo. Vejamos que o meu pai é mais drástico, p.e. há 10 anos teve um acidente quando ia para uma localidade vizinha e na cabeça dele a culpa é minha (que estava em casa a dormir) porque lhe disse que nesse dia começavam as festas dessa terra e não dele que ia alcoolizado e passou um vermelho. Coisas simpáticas deste género.

Olhos Dourados disse...

Bolas, é por isso que eu gosto mesmo dos meus!